Destinos do Brasil

Descubra mais de 550 destinos pelo Brasil

25 de Agosto de 2016

48 horas no Rio de Janeiro

Dicas de uma carioca - Nathalia Molina, jornalista convidada

O Rio é irresistível. E é muitos. Entre as cidades mais desejadas e visitadas do país, oferece diversas possibilidades de atrações combinadas, para se (re)descobrir a cada viagem. Se você é estreante em praias cariocas, este roteiro é um excelente começo. Se já esteve no destino, pode sempre revisitar lugares.

É, o Rio costuma mesmo deixar saudade, pelo que tem de conhecido e pela capacidade de surpreender. Após as reformas para receber a Olimpíada, a cidade exibe novidades, como a renovada Praça Mauá e seu Museu do Amanhã, inaugurado em dezembro de 2015 e que já passa de meio milhão de visitantes. 

Conhecer o Rio em 48 horas não é possível. Mas um fim de semana rende um bom aperitivo. Experimente este roteiro com um pouco de tudo o que a cidade oferece de melhor: cultura, natureza, música e botequim. É daqueles petiscos saborosos, para querer mais. E sempre.

Sexta à noite
Prepare-se para ver gente e siga para a Lapa - bares pipocaam ali perto dos Arcos. Para dançar, a pedida são Carioca da Gema e Sacrilégio, com samba ao vivo. Fique de olho na agenda de shows do Circo Voador e Fundição Progresso, com estilos variados.

Sábado
Manhã
Tome o novo bonde elétrico, o VLT (Veículo Leve sobre Trilhos). A primeira linha em operação liga o Aeroporto Santos Dumont à Praça Mauá, endereço do Museu do Amanhã. O VLT faz paradas na Cinelândia e na Carioca, onde há estações de Metrô. Vá até uma delas e siga de bonde até a estação Parada dos Museus.

Ali, visite o Museu do Amanhã e o Museu de Arte do Rio (MAR). De perfis bem diferentes, os dois são igualmente bons. Todo interativo, o Museu do Amanhã traz informação e provoca reflexão sobre o presente e o futuro. No MAR, os temas têm conexão com a cidade. Recomendo comprar ingresso pela internet e há um bilhete que dá direito às duas atrações. O almoço pode ser em um tradicional restaurante carioca: caminhe pela Rua Sacadura Cabral até o Gracioso, com fartos pratos de filé. Pegue o VLT de volta e tome o metrô até a estação Largo do Machado.

Tarde
No Largo do Machado, embarque numa das vans credenciadas que levam ao Cristo. Lá em cima, um giro de 360 graus exibe a zona sul, Baía de Guanabara, Pão de Açúcar, Pedra da Gávea, Floresta da Tijuca, Maracanã e Museu do Amanhã. Caso prefira andar no trem que corta a floresta, vá até de táxi ou ônibus até a estação no Cosme Velho. Ao lado da estação fica o Museu Internacional de Arte Naïf, com trabalhos de artistas nacionais e estrangeiros. 

Noite
Desça a Rua Cosme Velho (que vira Rua das Laranjeiras), entre na Rua Alice e suba para Santa Teresa, bairro de casarões antigos e muitos bares. O destino é o Bar do Mineiro, botequim onde pastel de feijão é a porção para acompanhar a cerveja gelada. Quer um jantar especial? Reserve uma mesa no Aprazível, para se maravilhar com as luzes da silhueta da Baía de Guanabara enquanto se degusta o melhor da cozinha brasileira. Em Santa Teresa, a dica é se deslocar de táxi.

Domingo
Manhã
Comece o dia com mais um cartão-postal. Chegue cedo ao Pão de Açúcar (a bilheteria abre às 8h), para fugir do horário de pico do bondinho (10 às 15h). Caso decida subir por trilha na mata, entre na Pista Claudio Coutinho, na Praia Vermelha. O percurso a pé até o Morro da Urca, o primeiro dos dois, exige algum preparo físico e dura 40 minutos. Depois é seguir de bondinho até o Pão de Açúcar, o mais alto. Bateu fome? Lá embaixo, na Urca mesmo, a congestionada mureta do Bar Urca serve de mesa para petiscos, como os pastéis de camarão. 

Tarde
Se preferir almoçar próximo à praia, siga rumo ao Leblon. Escolha um dos variados restaurantes da Rua Dias Ferreira, como o oriental Togu ou a CT Boucherie, do chef Claude Troisgros, com 15 cortes de carne. Quer algo despretensioso? Eu não resisto a um chopinho com bolinhos de bacalhau no Jobi, bar na Avenida Ataulfo de Paiva. Pela orla, caminhe no calçadão ou alugue uma bicicleta - há estações do Bike Rio espalhadas por lá. Circule por Leblon a Ipanema. Pare no Arpoador e termine o passeio com um mergulho e a visão do pôr do sol, de frente para o Morro Dois Irmãos. Para mim, é uma das mais bonitas paisagens da minha cidade.

Noite
Termine a viagem com uma noite na Lagoa, no Parque dos Patins. Contornada por uma ciclovia de 8km, é uma grande área de lazer para os cariocas, que ali pedalam, correm, caminham, andam de skate. Famílias se divertem em pedalinhos ou quadriciclos alugados. Além de comer nas carrocinhas, que vendem de tapioca a churros, vale sentar num dos quiosques – as cozinhas são diversas e vários oferecem música ao vivo. O Arab é um dos mais conhecidos. Seja qual for a escolha, desfrute do visual, abençoado pelo Cristo, ali em cima, iluminado.

Veja também: Descobrindo Rio de Janeiro

Nathalia Molina

Nathalia Molina é carioca, jornalista e gosta de samba, boteco e Centro do Rio. Já rodou por vários países, mas nunca encontrou outra cidade que combinasse tão bem beleza natural com paisagem urbana. É autora do Como Viaja, com dicas e experiências de viagem