Destinos do Brasil

Descubra mais de 550 destinos pelo Brasil

01 de Agosto de 2016

48 horas no Sertão de Guimarães Rosa

Águas de Santa Bárbara (MG) é o ponto de partida - por Alice Rocha

Escorrega natural é garantia de aventura Escorrega natural é garantia de aventura (foto: Bruno Albergaria)
Ser  tão! O trocadilho tem toda razão! Nascida no Norte de Minas, me criei entre veredas de uma região conhecida através de imagens áridas em fotografias de um solo e de um povo. A dureza da vida sempre estampada em uma cultura propagada mas pouco conhecida, apresentava este destino como forma de poesia bela mas distaaannte, que falava de um mundo pouco convidativo mas que, no fundo no fundo, existe lá dentro da gente. 

“O Sertão é dentro da gente”, assim disse Guimarães Rosa, “é onde o pensamento se forma mais forte que o lugar”, e foi assim que nasceu meu desejo de revelar que, como os frutos do Cerrado (segundo maior bioma brasileiro, responsável pela maior biodiversidade de fauna e flora do país), este lugar guarda riquezas que podem ser desfrutadas num Conto de Fadas real, que é Sertão Norte Mineiro. Veio então a missão de revelar as riquezas destes “Gerais” e transformar o Norte de Minas em destino turístico. 

Por ser ainda pouco explorado, o Sertão Norte Mineiro oferece uma experiência, vamos assim dizer, “roots”, não em questão de conforto - pois citarei aqui algumas opções que oferecem luxos particulares - mas em relação ao contato com um povo simples, mas muito sabido! E, como não poderia deixar de ser, caracterizados pela típica hospitalidade mineira.

O destino abordado aqui está a cerca de 270km de Belo Horizonte, via BR-135 com destino a Montes Claros. É um circuito de quatro vilarejos num raio de 80 km de nosso destino principal: a Vila de Santa Bárbara (município de Augusto de Lima), um lugarejo de 300 habitantes que surgiu como um pouso de tropeiros durante o ciclo de exploração do ouro e pedras preciosas e mais tarde foi povoado devido a instalação da segunda indústria têxtil do estado, em 1886.  

Como temos muito o que explorar nessa região, sugiro opções de roteiros de acordo com perfis, adaptando a visita ao estado de espírito do momento. 
Sugestões de hospedagem: 
Econômica: Pousada Sombra do Espinhaço e Pousada Sertaneja
Confortável: Águas de Santa Bárbara Resort Hotel
Para grupos: Chalés da Pousada Sombra do Espinhaço

Para os mais aventureiros
A chegada na Vila de Santa Bárbara na sexta-feira se torna uma agradável surpresa se seguida de uma pizza com vinho na bucólica “Pizza na Fulô”, em frente a uma charmosa pracinha e de onde se aprecia o fantástico “Coliseum”, ruínas da antiga fábrica têxtil e atual palco de eventos. Em seguida, a sugestão é um mergulho noturno no lago termal, que fica ainda mais quentinho a noite. Amparado pela estrutura do “Bistrô do Lago”, o hóspede pode continuar experimentando mais delícias gastronômicas, drinks e vinhos. Fique atento aos horários de funcionamento do bistrô para não passar vontade.

No dia seguinte a aventura se inicia. Vamos para a Cachoeira do Telésforo, uma paisagem que combina praia de água doce e areias brancas, cachoeira e serra, deslumbrante! Recomendo o acompanhamento de um guia local. São cerca de 80km de estrada de terra (dá para ir em carro normal) com uma pausa para prosa e frango caipira no bar do Geraldo Kussu, no município de Conselheiro Mata, que abriga também a bela cachoeira das Fadas. No retorno, uma passadinha na Pousada Sombra do Espinhaço, na Vila, para um relax sob a copa das árvores. Para jantar, sugiro o Bistrô do Lago, que costuma oferecer música ao vivo nos finais de semana. 

Domingo é o último dia deste roteiro, mas ainda tem muita diversão! Após o café da manhã, subida para a parte baixa da cachoeira de Santa Bárbara. Trilha de 500m com nível de dificuldade intermediário. A cachoeira tem um paredão diagonal (famoso “escorrega”) e lagos perfeitos para banho! E também pode-se praticar tirolesa no local. No retorno almoço no resort. Quem não está com pressa pode fazer o circuito de arvorismo do hotel ou contemplar o visual na parte alta da Cachoeira, com direito a banhos nas piscinas naturais ao pôr do sol.

Para aventureiros, mas nem tanto
Neste roteiro, a chegada é na Vila de Santa Bárbara, com jantar na Pousada Sombra do Espinhaço. Em seguida, faça uma caminhada para conhecer a Vila e seus atrativos (praças, igrejinha, ruínas da antiga fábrica e casinhas dos moradores). 

Na manhã de sábado, passeio para o Arraial de Curumataí, com direito a petiscos nos simpáticos botequinhos e visita à cachoeira que fica dentro do arraial, a 10 minutos de caminhada. Na parte da tarde, para quem estiver cansado, um drink no Bistrô do Lago, seguido de mergulho no lago termal ou uma sauna admirando a paisagem da mata. Para jantar, Pizza na Fulô. 

No domingo de manhã, visita às barragens e à parte alta da Cachoeira para contemplação e banhos nas piscinas naturais. Almoço no hotel ou pousada e bye bye Santa Bárbara!

Para bons vivants e amantes da gastronomia
Na sexta-feira, chegada em Santa Bárbara e jantar no Bistrô do Lago, preparado pelo chef Rodrigo Carrasco. Dica: siga as sugestões dele para as harmonizações com vinhos, drinks e cervejas. 

No sábado, o passeio segue para o Espinho, lugarejo a poucos km da Vila de Santa Bárbara, para degustar as delícias preparadas pela chef Cris Gimenez. Inúmeras vezes participante do Festival Gastronômico de Tiradentes (MG), Cris possui um aconchegante espaço gastronômico no local, o Kuca e Cia. Como o papo é bom e as surpresas melhores ainda, o programa pode se estender até a noite, e aí uma opção boa é se hospedar na Pousada Sertaneja. A hospedagem é simples, mas muito zelosa. 

No dia seguinte, a visita a cachaçaria Barrinha, situada no Salobo, é um bom aperitivo para o almoço. A 7km da vila de Santa Bárbara, pode-se acompanhar os processos de produção da cachaça e degustar a bendita. Além de conhecer a simpática e simples propriedade e prosear, é claro. No retorno, almoço de despedida no resort ou na pousada, conforme o gosto e o bolso.

Entre um programa e outro, vale desfrutar da área de lazer do resort. Que tal uma “caipi” no bar molhado com vista para cachoeira ou uma cerveja nas mesinhas às margens do Riacho das Areias?

Fotos: 
Bruno Albergaria
Márcia Gazolla (prato)
Compartilhe:

Veja também: Descobrindo Águas de Santa Bárbara

Alice Rocha

Publicitária, desenvolve soluções comerciais para empresas através da ARP - Creativity for business. Foi Gerente Comercial do Hotel Águas de Santa Barbara durante cinco anos, o que confere propriedade para as indicações feitas