Destinos do Brasil

Descubra mais de 550 destinos pelo Brasil

07 de Fevereiro de 2019

48 horas em meio às belezas de Cambará do Sul (RS)

Por Lorena W. Bortoloti

Cachoeira dos Venâncios: fácil acesso às quatro quedas, todas em sequência Cachoeira dos Venâncios: fácil acesso às quatro quedas, todas em sequência (foto: Lorena W. Bortoloti)
Cambará do Sul é uma cidade pequena voltada para o turismo nos cânions e cachoeiras. Não há palavras para descrever a beleza destas maravilhas esculpidas pela ação do tempo. Há alguns anos, meu sonho era conhecer os famosos Cânions do Sul do Brasil, finalmente o sonho foi realizado.

Em julho, apesar das férias escolares, os pontos turísticos não estavam muito cheios. O frio nesta época do ano é bem intenso e é importante levar pelo menos 2 pares de tênis, pois o calçado ficará molhado em quase todas as trilhas e, no inverno, não seca rápido. Então, deixe um apenas para fazer as trilhas.

O destino é perfeito para fazer trilhas e depois sentar à beira do precipício para descansar e ficar o máximo de tempo possível sentindo o vento batendo no rosto e admirando a imensidão a nossa frente. Aconselho ir aos cânions com roupas apropriadas para caminhar e também levar agasalhos - ainda que o dia esteja quente, devido à altitude, venta bastante e o tempo muda bruscamente. Importante levar água e, caso pretenda passar mais de tempo, lanche, pois não há lanchonete perto dos cânions. Há banheiro apenas na entrada. 

Dividi os pontos turísticos da seguinte forma: um cânion e uma cachoeira por dia. Não contratamos guia em nenhum dos passeios. Fomos de carro 1.0 e fizemos as trilhas tranquilamente - todas autoguiadas e bem sinalizadas - com uma criança. As estradas para os cânions e cachoeiras têm vários quilômetros em estradas de terra em boas condições. 

Estradas que levam aos parques têm boa conservaçãoEstradas que levam aos parques têm boa conservação (foto: Lorena W. Bortoloti)

Na cidade, há algumas agências de turismo com guias e carros 4×4, caso ache necessário. Uma das agências que encontramos num dos cânions nos ofereceu o passeio para cachoeira Passo do S, esta só pode ser visitada com carro 4x4.

Sexta feira noite
Ao chegarmos em Cambará, passamos na igreja, nos instalamos na pousada e saímos para jantar no restaurante Galpão Costaneira, com boa variedade de comida, salada e sobremesa. Há opção de comida a vontade com ou sem churrasco servido na chapa na mesa. Recomendo.

Sábado
Manhã
Partimos para o Parque Nacional da Serra Geral. O percurso do centro até o parque é de 19km, sendo 5km de terra - até mesmo na parte asfaltada é necessário dirigir com muito cuidado, pois as vacas, os bezerros, as galinhas e os galos atravessam a pista durante todo percurso. Tanto a entrada como o estacionamento são gratuitos. 

Vista do mo mirante, rumo ao Cânion FortalezaVista do mo mirante, rumo ao Cânion Fortaleza (foto: Lorena W. Bortoloti)

A principal atração é o cânion Fortaleza, considerado um dos mais exuberantes da região. Possui 7,5km de extensão, 2.000m de largura e uma altitude de 1.240m acima do nível do mar. Os seus paredões lembram muralhas, daí o nome Fortaleza.

Chegamos no cânion por volta das 9h30 e ele estava quase todo coberto pela neblina, ficamos até as 12h30 esperando para ver se o tempo abria porém só piorou. Ainda assim, ficamos encantados com a linda vista, parece cenário de televisão. No segundo dia, voltamos por volta de meio-dia e não havia neblina.

No cânion Fortaleza há três trilhas: a do Mirante do Fortaleza com 3,2km, a da Cachoeira do Tigre Preto, com 2km, e a da Pedra do Segredo, com 2,7km. Acredito que para fazer as 3 trilhas com bastante tranquilidade e admirando bem a paisagem são necessárias pelo menos 4h. Não há guia à disposição no cânion, caso ache necessário deve-se contrata-lo numa agência de turismo na cidade.

Tarde
Depois do almoço (há algumas opções na Av. Getulio Vargas), seguimos para a cachoeira do Tio França, a 3Km do centro, numa propriedade particular chamada Estância da Felicidade. O valor da entrada é R$ 10, a cachoeira é bonita e a trilha é bem fácil com cerca de 3Km de caminhada, ida e volta.

[FBFOTO:277777912]

Em seguida visitamos o sítio Querência, que oferece grande variedade de sabores de geleias artesanais feitas no próprio sitio. Há degustação gratuita dos produtos e foi difícil escolher dentre tanta variedade.

Domingo
Manhã
Começamos o dia rumo ao Parque Nacional de Aparados da Serra, onde o grande atrativo é o cânion Itaimbezinho. Formado pela mata atlântica e floresta de araucária, cachoeiras e penhasco, ele é morada de muitos animais, principalmente pássaros. 

Cânion Itaimbezinho é um dos maiores das AméricasCânion Itaimbezinho é um dos maiores das Américas (foto: Lorena W. Bortoloti)

Assim como o cânion Fortaleza, é uma verdadeira perfeição da natureza, dá vontade de ficar horas admirando sua beleza. Fomos muito abençoados por Deus, pois fomos num dia sem nuvens ou neblina. A entrada e o estacionamento são gratuitos.

O cânion tem profundidade de aproximadamente 700m é um dos maiores das Américas, seus paredões rochosos, suas fendas estreitas junto ao verde da vegetação formam um cenário mais que perfeito. Há um centro de informações para obter informações sobre as três trilhas abertas ao público.

As trilhas do Vértice e a do Cotovelo se iniciam próximo ao centro de informações. A trilha do Rio do Boi, acesso ao interior do cânion, tem início no posto de informação do município de Praia Grande (SC). Como tínhamos intenção de voltar ao cânion Fortaleza, fizemos apenas a trilha do Vértice.

Ela tem cerca de 1,5km de extensão, autoguiada e nível fácil. No percurso, há mirantes para admirar o cânion e as cachoeiras. No primeiro mirante, vimos a Cascata das Andorinhas, com uma queda de 300m. No segundo, a Cascata Véu da Noiva, com uma queda de 500m. No terceiro, vimos duas cascatas e o início do cânion Itaimbezinho, que é em forma de vértice e dá origem ao nome da trilha.

Tarde
A atração escolhida foi a Cachoeira dos Venâncios, na divisa entre as cidades de Cambará do Sul e Jaquirana. São 8km de asfalto pela RS-020 até a estrada que liga a Jaquirana e, depois, 13km em estrada de terra. 

[FBFOTO:482610168]

Para visitar, é cobrada uma taxa de R$ 5, valor baixo pela paisagem e conservação do local. São 4 cachoeiras em sequência, todas de fácil acesso. Não tem como não se encantar. Próximo à primeira cachoeira tem mesas para aqueles que quiserem passar o dia por lá e fazer um piquenique.

Veja também: Descobrindo Cambará do Sul

Lorena Bortoloti

Adora viajar em família para descobrir novos destinos.... Não por acaso, é autora do blog Eu amo Viajar.