Destinos do Brasil

Descubra mais de 550 destinos pelo Brasil

28 de Junho de 2016

48 horas em São Paulo

Dicas de uma paulistana - por Sylvia Barreto, blogueira convidada

48 horas em São Paulo
Nasci em São Paulo e, apesar de adorar minha cidade, sei que ela não pode competir em beleza natural com diversas capitais brasileiras, como Rio de Janeiro, Floripa ou Salvador. Em contrapartida, a minha “selva de pedras” é a melhor cidade do país em termos de serviço, passeios culturais e diversidade gastronômica, são mais de 52 tipos de cozinha e 15 mil restaurantes. Podemos não ter praia, mas já deu para perceber que tem muita coisa a fazer. Escolhi tudo aquilo que mais gosto para que viva deliciosas 48 horas (ou um pouquinho mais) na minha terra. 

Sexta à noite

Veloso Bar
Em São Paulo já batemos a marca dos 20 mil bares! Para comer um dos ícones paulistanos, sugiro o Veloso Bar. Ele tem fama de ter a melhor coxinha da capital, tanto que petisco já ganhou vários prêmios. Para acompanhar, vá de caipirinha, como a de três limões ou a de tangerina com pimenta dedo-de-moça. Ah, é sempre lotado, portanto, vá com paciência. 
R. Conceição Veloso, 54
Uma boa opção é ir de metrô. O bar fica pertinho de duas estações de metrô da Linha Azul, a Ana Rosa (que também faz parte da Linha Verde) ou a Vila Mariana, escolha a sua. 

Sábado

Manhã
Centro histórico e Catedral da Sé
Como em outras grandes cidades brasileiras, nosso centro histórico não é lá muito limpo e tem bastante morador de rua. Mas vale a pena passear em uma manhã de sábado. Tem desde o Pateo do Collegio, local em que São Paulo foi fundada, até construções antigas de encher os olhos, como a Catedral da Sé, o Palácio da Justiça, Edifício Matarazzo, Theatro Municipal e o Mosteiro de São Bento. 
Indo de metrô, o ideal é descer na estação Sé (Linhas Vermelha e Azul) e começar seu roteiro. Termine a estação São Bento (Linha Azul).

Mercado Municipal
Cores e sabores aos montes. Aproveite para almoçar no chamado Mercadão. São dezenas de bancas de frutas dos mais diversos tipos, carnes, temperos, ervas, frios e muitos outros itens. Alguns deles você pode até para levar para sua cidade. Para almoçar, os mais pedidos são o sanduíche de mortadela e o pastel de bacalhau. 
R. Cantareira, 306 – aos sábados, funciona das 8h às 18h
www.oportaldomercadao.com.br
Dá para ir de metrô. A estação mais próxima é a São Bento (linha Azul), mas é preciso uma boa caminhada depois. 

Tarde
Planetário + Parque do Ibirapuera
O Planetário do Parque do Ibirapuera reabriu em janeiro de 2016. As sessões são gratuitas e explicam um pouco sobre o nosso universo. Durante as tardes tem sessões às 15h e às 17h, mas é preciso tirar seu ingresso com uma hora de antecedência. Enquanto espera, aproveite para fazer uma caminhada no parque.
Av. Pedro Álvares Cabral, s/n - Vila Mariana
Sessões às 10h, 12h,15h e 17h, de terça a domingo.
www.prefeitura.gov.sp/planetário
O parque fica longe das estações de metrô. Uma dica é ir até a estação Brigadeiro da Linha Verde ou Vila Mariana da Linha Azul e completar o trajeto de táxi. 

Noite
Pizza no Bixiga
Sair de São Paulo sem uma boa pizza é quase um pecado. Para mim, uma das melhores pizzarias da cidade fica no conhecido bar italiano do Bixiga, é a Speranza. Chegue cedo porque as filas também são longas, principalmente, no sábado à noite. Os sabores são variados e a massa é uma delícia. A mais famosa é a Marguerita, só comendo para entender a razão. Se achar que aguenta, peça um “tortano”, que nada mais é que um pão recheado com linguiça calabresa simplesmente delicioso. Foi introduzido na culinária paulistana em 1958 pela família que abriu a pizzaria. 
R. 13 de Maio, 1004
Para ir de metrô, a opção é a estação Brigadeiro (Linha Verde), que fica a 850 metros. caminho, porém, não é muito seguro à noite. Complete o trajeto de táxi.

Domingo

Manhã
Pedalada na Paulista
Que tal pedalar na Avenida Paulista no domingo de manhã? Das 9h às 17h a avenida mais famosa de São Paulo é fechada para carros. Dá para alugar uma bike, como as do banco Itaú, e passear por lá. 
Indo de metrô, são duas opções: Na linha Verde, desça em estações como Brigadeiro ou Consolação, que ficam nas extremidades da Avenida. Ou, pegue a linha Amarela e desça na estação Paulista. 

Almoço
Feirinha da Liberdade
Pegue o metrô novamente e desça na estação Liberdade da Linha Azul. Aproveite a feirinha que rola solta na praça com delícias japonesas. O bairro da Liberdade é de colonização japonesa, mas hoje em dia tem outros asiáticos também. Vale a pena dar uma circulada por lá, até a decoração das ruas é inspirada no Japão. 
Praça da Liberdade – aos sábados e domingos, das 8h às 18h

Tarde
Masp
O Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand fica na Paulista e tem uma estação de metrô com seu nome, a Trianon-Masp. Então, depois que você almoçar na Liberdade, se prepare para voltar para o local que andou de bike de manhã, mas com outro objetivo: conhecer um dos museus mais importantes do hemisfério sul. Tem mais de oito mil peças com obras de Picasso, Van Gogh, Portinari, dentre outros.
www.masp.art.br

Fim de tarde/noite
Vila Madalena
Aproveite para terminar o domingo em um dos bares da Vila Madalena. Pelas ladeiras do bairro, dezenas de bons estabelecimentos se espalham, muitos deles com mesinhas nas calçadas. Meus preferidos: Alto da Harmonia, com um terraço incrível; Posto 6, inspirado nos botequins cariocas; e Salve Jorge, bem descontraído. 

Veja também: Descobrindo São Paulo

Sylvia Barreto

Jornalista, modelo plus size e autora do blog Viajar é Simples