Destinos do Brasil

Descubra mais de 550 destinos pelo Brasil

24 de Janeiro de 2019

Roda-gigante de volta a Foz do Iguaçu (PR)

Brinquedo retorna ao Marco das Três Fronteiras e é atrativo a mais durante as férias

Quedas encantam de todos os ângulos Quedas encantam de todos os ângulos (foto enviada por Edimar)
Sucesso de público em 2018, a roda-gigante itinerante volta ao Marco das Três Fronteiras, em Foz do Iguaçu (PR), para as férias de verão. O brinquedo fica por lá até o fim Carnaval.

A roda-gigante, que proporciona cenas raras a cada volta, descortinando um belo pôr do sol e a experiência de contemplar três países ao mesmo tempo, funciona diariamente, das 16h às 22h. 

O equipamento de fabricação italiana é de última geração. À noite, o colorido das luzes de LED, espalhadas por toda a estrutura, faz da roda-gigante um grande espetáculo de cores e brilho, encantando os visitantes do ponto turístico, que lá encontram restaurante e assistem a apresentações culturais e shows de luzes e águas. 

A roda-gigante tem capacidade para transportar até 108 pessoas simultaneamente, divididas em 18 cabines fechadas, sendo seis pessoas em cada cabine. Há gôndolas especiais para cadeirantes.

Os ingressos saem a R$ 15. Crianças de até 3 anos, acompanhadas de um adulto pagante, têm isenção. Crianças a partir de 4 anos pagam a tarifa normal.

Arquitetura, história & cultura
Com um pôr do sol de tirar o fôlego, o Marco das Três Fronteiras transformou-se em um complexo turístico com várias atrações. O espaço remete ao século 16 através de uma vila cenográfica que homenageia as Missões Jesuíticas. A Praça de Entrada exibe 700 metros quadrados de arquitetura histórica e é cercada pelo encontro dos rios Iguaçu e Paraná. A área dos mirantes foi amplada, permitindo observar a bela paisagem de variados ângulos. 
 
Shows reúnem água, luz e dançarinosShows reúnem água, luz e dançarinos (foto: Beto Marco)

À noite, o show das Águas Dançantes, com luzes e projeções na Praça das Três Fronteiras, onde fica o Obelisco, atrai os visitantes. Assim como as apresentações de dança e o restaurante Cabeza de Vaca, que reúne o melhor da gastronomia regional.

Programe-se!
As cataratas são lindas o ano inteiro, mas é durante o verão que o volume de água é maior e as árvores estão floridas. Em janeiro e fevereiro, as chuvas são rápidas e refrescantes – mas quem não quer molhar a roupa, vale investir nas capas de chuva durante os passeios pelo Parque Nacional do Iguaçu.

Quedas encantam de todos os ângulosQuedas encantam de todos os ângulos (foto enviada por Edimar)

Vale consultar o calendário lunar e agendar sua viagem para uma data com lua cheia, quando os parques brasileiro e argentino promovem luaus nas passarelas, com vista para as quedas. Demais, não é?
Compartilhe:

Veja também: Descobrindo Foz do Iguaçu

Gracie Croce

Jornalista, adora viajar e descobrir novos lugares. O que não impede de voltar àqueles por onde andou...