Peterlongo (14 fotos)

Já esteve lá? Envie suas dicas
    Piquenique de outono: pallets e almofadas garantem relax
    Rosângela LonghiENVIE SUAS FOTOS
    Piquenique de outono: pallets e almofadas garantem relax
    1. Piquenique de outono: pallets e almofadas garantem relax
    2. Degustações acontecem no belo casarão
    3. Maravilha de cenário
    4. Wine Movie acontece uma vez por mês
    5. Nogueira garante a sombra durante os piqueniques
    6. Piqueniques acontecem no outono
    7. Túnel histórico é tomado por garrafas antigas
    8. Borbulhas convidam à degustação
    9. No museu, a história do espumante no Brasil
    10. Visitantes fazem a festa na época da colheita
    11. Colheita de uvas faz parte do prgrama!
    12. No outono, brindes no jardim com vista para o vinhedo
    13. Degustações antes durante e depois do filme
    14. No verão, colheita garantida
    15. Vinícola Peterlongo

    Peterlongo

    Por Editoria Férias Brasil

    O bonito casarão creme no alto do terreno, com um vinhedo à frente, chama a atenção na paisagem. Mas é dentro dele que se conhece a história do espumante no Brasil, do seu fundador (Manoel Peterlongo) e da marca, que comemorou 100 anos em 2015.  

    Por lá, os métodos de produção são Champenoise (tradicional), Charmat e Asti (ambos industriais), que ocupam os tanques de fermentação em aço inox que se espalham por alguns galpões. A visita guiada, aliás, começa por eles e segue um roteiro temático que leva ainda às pipas de madeira, aos barris de carvalho, à primeira cave subterrânea do Brasil e ao túnel histórico, repleto de garrafas das mais variadas safras. 

    E ainda tem o museu de máquinas e papel, com painéis informativos e jogos de luzes que revelam histórias como o fato de a Peterlongo ter sido a primeira vinícola a empregar mão de obra feminina e também a primeira a exportar os seus produtos. 

    Também dá para conhecer mais sobre a utilização do uso do termo “champagne” - na primeira metade do século 20, vinícolas francesas chegaram a questionar a utilização do termo champagne em rótulos brasileiros. Em 1974, o Supremo Tribunal de Justiça do Brasil julgou improcedente o questionamento e a Peterlongo ganhou o direito da denominação, absorvida desde o início da elaboração da bebida por Manoel Peterlongo. O STF levou em conta o histórico de elaboração pelo método tradicional, o fato de a vinícola ter sido a primeira a plantar uvas viníferas brancas no Brasil, além de importar leveduras de alta qualidade da França. 

    Ao fim do tour, que dura cerca de 90 minutos, é hora de degustar os produtos. São três opções de degustação: Privilege (três espumantes dos métodos Charmat e Asti), Presence (quatro espumantes dos três métodos, com acompanhamentos) e Elegance (cinco espumantes dos três métodos tops de linha, harmonizados). Metade do valor é convertido em compras na loja. Outra opção é somente a degustação, sem visita, que inclui três produtos, exceto os do método Champenoise, sendo 100% do valor convertido em desconto na loja. 

    Uma dica: ao comprar seu espumante, aproveite para degustá-lo no jardim do vinhedo que fica em frente ao belo casarão. Enquanto ele gela, caso seja época de colheita, vá pegar uvas – a vinícola fornece um kit gracioso com cesta de vime e tesoura. Já nos fins de semana de outono, é costume o jardim ganhar estrutura para piqueniques à sombra da frondosa nogueira. Almofadas, mesas de pallets, toalhas e champanheiras com gelo, além de torradinhas, queijo cremoso e frutas são oferecidos para os clientes a um preço fechado e acessível. As bebidas são pagas à parte.

    As visitas acontecem todos os dias e podem ser agendadas pelo telefone ou pelo email eventos@peterlongo.com.br. Os piqueniques de final de semana também devem ser agendados.

    Outras atrações em: